Othercombate aos efeitos do excesso de informação

Uma expressão que tem sido usada com bastante frequência nos últimos anos é a infobesidade, que nada mais é do que os efeitos causados por uma enxurrada de informações que consumimos todos os dias, durante horas. O mito de que precisamos nos manter muito bem informados leva as pessoas a consumirem informação indiscriminadamente, sem impor limites. Este comportamento sem limites é onde mora o problema.  

A primeira vez em que entrei em contato com o termo foi em uma matéria do G1, em 2012. No texto, a infobesidade tinha como principal causa o e-mail, que tinha se tornado a principal ferramenta de trabalho na época. Passaram-se oito anos e os fatores que causam a infobesidade aumentaram bastante. A eles somam-se os aplicativos de conversa como o whatsapp e o telegram, feed de redes sociais como instagram, facebook e suas respectivas ferramentas internas.

Um dos sintomas da infobesidade é a angústia por não conseguir acompanhar todo fluxo de notícias e informações disponíveis on-line ou em meios de comunicação. Com os meios de informação se tornando cada vez mais virtuais, o consumidor se perde e entra em um fluxo que não favorece o trabalho nem a saúde mental. Além disso, a concentração em assuntos e pautas que realmente importam se esvai e com ela chega o estresse e a ansiedade.

“Preciso estar informada”, “preciso ler um livro por semana”, “é essencial assistir a todos os jornais”, “rapaz, hoje nem vi as novidades e as atualizações do meu feed”. Quem nunca escutou alguma frase dessa de um amigo ou mesmo repetiu essas afirmações para você mesmo? No final do dia, provavelmente, você tem a sensação de que não fez nada e pouco consegue repetir ou comentar tudo o que leu. 

Pois é, você pode estar sofrendo de infobesidade e o futuro pode te tornar um profissional com ansiedade e estresse no currículo. Vivemos uma era de urgências que, se não bem administradas, podem adoecer um indivíduo competente tornando-o confuso e com pouco foco em suas habilidades. É importante saber que você é sua principal empresa e cuidar-se é um dos maiores investimentos em prol do seu trabalho. Aliados ao cuidar-se estão o gerenciamento do seu tempo e a seleção das suas prioridades.  

“Aquilo que você foca, se expande”, vocês já devem ter escutado essa verdade universal. É uma afirmação que pode ser aplicada em negócios, metas de vida e, minha proposta é que se aplique isso na escolha das informações que você consome, dentro de um espaço de tempo e obedecendo ao foco das suas prioridades. Para orientar vocês no processo de se tornar um profissional bem informado e blindado  dos sintomas da infobesidade, vou sugerir algumas ações que podem dar certo com você, é só testar.

Antes disso, sempre gosto de destacar que você não deve comparar o sucesso das pessoas com o seu, pois isso desconsidera os bastidores daquele ator. Se você coloca em prática várias dicas e orientações para manter o foco, limitar tempo e elencar suas prioridades e ainda assim não consegue obter o resultado que precisa, pode ser a hora de procurar um profissional para investigar a presença de ansiedade, estresse ou depressão. Eles podem ser os reais causadores do seu problema. Não negligencie sua saúde mental. Dito isso, vamos às dicas para combater os efeitos da infobesidade:

Escolher nichos

Pare um pouco para elencar assuntos que realmente sejam importantes para o seu momento de vida. Saúde, família, religião, trabalho, esportes, literatura. Seja o que for, escolha esses nichos para aprofundar seu conhecimento ou mesmo para resolver um problema que esteja passando. Desta forma, você direciona seu foco e não dissipa suas energias em assuntos que não são interessantes nem agradáveis para você.

Detox digital

Escolheu seus nichos? Agora faça um detox digital e deixe de seguir ou acompanhar perfis que não fazem parte dos assuntos que são seu foco. Não é nada pessoal, é só você aprofundando o que realmente deseja expandir. É libertador!  

Escolha horários fixos

Para todos os veículos condutores de informação que você tenha em mãos, designe quanto tempo você quer direcionar para cada. Seja específico, escreva na sua agenda, como compromisso, o tempo e a hora que você passará assistindo ao jornal, nas redes sociais e lendo seu e-mail. De preferência, coloque um despertador para te avisar que você já direcionou o máximo de atenção para aquele assunto. 

Newsletter e podcast

Essa é minha dica preferida. Aproveite os nichos que escolheu para selecionar um bom podcast e assinar uma newsletter sobre os assuntos. Esse tipo de conteúdo é específico e traz informações que você realmente precisa. Isso evita a perda de tempo em assuntos fora do seu universo. Tempo este que pode ser direcionado para melhorias em sua qualidade de vida. No caso dos podcasts, você pode aproveitar até o tempo dos serviços domésticos ou de deslocamento para se manter informado. 

Encontre uma forma de desligar-se

Reservar uma hora do dia para meditar, alongar ou praticar exercícios estão no topo das escolhas de quem é produtivo e saudável ao mesmo tempo. Manter-se informado sem adoecer exige que se desligue um pouco o cérebro para recuperar a energia. Essas opções te ajudam a cuidar do corpo e da mente. Experimente, você retomará suas atividades renovado.